Nova Classificação ANBIMA de Fundos de Investimentos

0
37

Fonte: ANBIMA

A classificação ANBIMA busca agrupar fundos de investimento com as mesmas características, identificando suas estratégias e fatores de risco para facilitar a comparação de performance entre os produtos. Sua estrutura foi construída com os objetivos de facilitar o processo de decisão de investimento e contribuir para aumentar a transparência do mercado.
O novo modelo, que vigorará a partir de 01/07/2015, conta com três níveis de detalhamento, que buscam refletir a lógica do processo deinvestimento. Com isso, promove-se o fácil entendimento, sem perda de profundidade técnica, com clareza dos fatores de riscos e estratégias. Inspirada nos padrões internacionais, preserva as características da indústria local.

A classe CVM, considerada o primeiro nível, obedece à classificação definida na Instrução nº555 da CVM, que regula a indústria de fundos. Isto é, conta com as classes renda fixa, multimercados, ações e cambial.

Já o segundo nível, chamado de tipos de gestão e riscos, procura classificar os fundos de acordo os estilos de gestão ativo ou indexado (passivo) e, nos casos das carteiras com mais de 40% alocados em papéis internacionais, adquiridos no exterior.

As principais estratégias fazem parte do terceiro nível, que oferece um maior detalhamento das estratégias dos gestores.

O tipo ANBIMA é o resultado da combinação dos três níveis.

As instituições participantes do Código de Fundos de Investimento responsáveis pela gestão da carteira do fundo devem observar, no momento da aquisição da carteira e durante todo o período investido, se a classificação e o regulamento do fundo investido são compatíveis com o tipo ANBIMA do fundo investidor.